Semana agitada no mundo do futebol, dentro e fora dos gramados. Nessa terceira rodada do Bola da Vez, temos novidades jurídicas envolvendo Vasco, Cruzeiro e Coritiba.

Na primeira rodada contamos que o Vasco estava impedido de seguir com a constituição da SAF, por liminar. O clube conseguiu derrubar a liminar, e poderá seguir adiante. O próximo passo será a convocação do Conselho Deliberativo para votação sobre a venda dos ativos para os investidores.

Já em Minas Gerais, o jogo esquentou na recuperação judicial do Cruzeiro, com a intervenção do Ministério Público, defendendo que não caberia a recuperação porque, antes, a Raposa tinha adotado o regime centralizado de execuções. Para o MP, são caminhos excludentes entre si. Será que Ronaldo Fenômeno e sua equipe jurídica conseguirão escapar da marcação do MP?

Em Curitiba, na próxima terça-feira o Estádio Couto Pereira será palco de um grande embate, mas não de futebol. O estádio do Coxa sediará a assembleia de credores. Apesar de o CNJ recomendar a realização de assembleias virtuais, e apesar do pedido dos credores trabalhistas, em que a maioria reside em outras comarcas, o juízo decidiu manter a assembleia presencial no estádio. No encontro, credores discutirão o plano de recuperação e, caso o rejeitem, poderão encaminhar o Coritiba à falência.

Dentro das quatro linhas, o tema da semana foi o empate entre Flamengo e Athletico/PR pelas quartas-de-final da Copa do Brasil. A polêmica atuação do árbitro tem dado o que falar, pela expulsão do David Luiz, a conivência com as entradas duras de Gabigol e Arrascaeta, e o pênalti não marcado em Léo Pereira. O polêmico VAR também está na mira dos debates, já que deveria ter alertado o árbitro. O Athletico já entrou com uma Nota de Infração no STJD.

Qual a sua opinião? Conta pra gente.

Colaboração de Geraldo Fonseca.