A IA (inteligência artificial), amparada no aprendizado de máquinas, passou de banco de dados para ferramenta de tomada de decisões, e é utilizada na China para reduzir a carga de trabalho nos tribunais. A IA lê, separa processos judiciais base, analisa, indica leis, rascunha documentos legais e corrige erros humanos em decisões automaticamente. Além de monitorar o progresso dos casos e mostrar se há má conduta ou corrupção.

Com o objetivo de diminuir a carga de trabalho de um juiz, a tecnologia também é aplicada pela polícia para dar mais agilidade nas investigações criminais. O tribunal inteligente se conecta à mesa de todos os juízes, que devem consultar a IA em cada caso.  Caso o juiz rejeite a indicação da IA, deverá explicar a recusa por escrito para fins de auditoria. Agora, todos os tribunais se comunicam e o sistema inteligente conecta todas as informações em um único “banco” central, na cidade de Pequim.

Mas, como toda ferramenta tecnológica tem seu lado negativo, nesse caso, a IA reduz a capacidade do ser humano (juiz) tomar suas decisões conforme suas avaliações individuais e vivência.