A ferramenta de pagamento instantâneo (PIX – transferências de recursos 24h/7dias), lançado pelo Banco Central tem novas medidas de segurança para evitar fraudes ou falhas operacionais.

Mas, quais são as medidas de segurança?

–  limite de transferências e pagamentos para pessoas físicas (R$1.000,00 entre 20h e 6h) – o limite poderá ser alterado quando solicitado pelo usuário, através do canal de atendimento eletrônico, e a instituição financeira terá o prazo mínimo de 24h para realizar a solicitação – o usuário poderá cadastrar as contas que receberão valores acima dos já estipulados;

–  bloqueio preventivo de recursos (o banco em que o usuário for correntista poderá bloquear os recursos por até 72h se suspeitar de fraude e o cliente será informado de imediato);

–  devolução de valores pela instituição recebedora, se houver suspeita de fraude ou falha operacional;

–  notificações das transações rejeitadas (obrigatoriedade dos bancos de registrarem uma marcação na chave PIX, CPF/CNPJ e número da conta do usuário no caso de suspeita de fraude, compartilhando com as demais instituições para aumentar a proteção contra fraudes);

– procedimentos/recursos extras para proteção de dados: (os bancos participantes devem adotar medidas de proteção semelhantes as do Banco Central e definir procedimentos de identificação e tratamento se ocorrerem abuso nas consultas de chaves PIX);